Mães e Educadoras

Maio é sem dúvidas um mês de muita celebração, em especial para os salesianos. Além de comemorarmos o Dia das Mães, esta também é uma época em que nos dedicamos a relembrar o carinho constante de Maria em nossas vidas. Ela que além de nossa mãe e santa, dá nome a obra religiosa e ao colégio situado na cidade de Cruzeiro conhecido como INSA-Oratório ou Instituto Nossa Senhora Auxiliadora.  Voltados para a importância dessas datas, selecionamos alguns depoimentos de mulheres que são mães e educadoras, e concordaram em partilhar um pouco da história delas conosco:

 

Luci Martinolli

A professora de Química Luci Martinolli, quem leciona desde 1980, há 23 anos no INSA-Oratório, foi surpreendente em seu primeiro comentário quando questionada como ela decidiu seguir sua carreira. Brincando, ela disse: “Acho que desde o berçário eu quis ser professora”. Segundo ela dar aula é algo natural, como parte dela mesma.

Luci é mãe de dois filhos: Patrícia de 24 anos e Matheus de 14.  Ela nos conta ainda que a experiencia de ser mãe só a fez ficar mais apaixonada por seus alunos. Quando pedi que explicasse um pouco mais isso, contou: “o amor que você sente por um filho é algo tão grande, eu nunca soube que seria capaz de amar tanto alguém. Quando eles nasceram, parece que aumentei minha capacidade de amar.  Sempre gostei muito de meus alunos, mas quando me tornei mãe acho que esse carinho ficou completo”.

No final de nossa conversa, ela disse ainda: “Tenho a esperança de também ter feito a diferença na vida de cada um dos meus alunos. É isso que peço a nossa senhora, que toque os corações dos meus alunos sempre, para se tornarem pessoas ainda melhores. Tento como professora, despertar a curiosidade para o conhecimento em meus alunos. Acho, inclusive, que essa é a única chance para nosso pais: a educação”.

Talita de Carvalho Fonseca

Em minha conversa com a professora Talita de Carvalho Fonseca, conheci uma mulher que também é apaixonada pela educação e por ser mãe. Seu filho Carlos Eduardo estuda no INSA-Oratório, onde ela leciona. Talita  é professora há 18 anos. E escolheu dar aula por acreditar que embora os desafios sejam grandes a compensação que há em ver uma criança aprender e perceber que aquilo tudo é fruto de seu trabalho é incomparável.

Sobre ser Mãe, ela disse que assim como na educação o processo de ensino-aprendizagem é uma  construção diária. Entretanto,  diferente de lecionar, não existe faculdade ou manual para ser mãe. Temos que confiar em nossos instintos mais maternos e aprender a cada momento como dosar entre o sim e o não.

Por fim, disse que  acredita na filosofia do Pai e Mestre da juventude, D. Bosco,  e em tudo o que INSA-Oratório faz,  para ela é muito gratificante estar próximo dos Jovens. Completou dizendo que o  ensinamento de Dom Bosco ao qual mais se apega e que resume o que  ela deseja que não só para seu filho mas todos os seus alunos é: “Ser bom cristão e honesto cidadão”.

Fernanda Maria de Paiva Silva

A última das três mulheres com que conversei, Fernanda Maria, é professora da educação infantil e ressaltou como é gratificante para ela poder trabalhar no colégio em que seus filhos Henrique e Vinícius estudam.

Segundo ela: “Posso entender a confiança que os pais tem ao deixar seus bens mais preciosos conosco  no Oratório, todos os dias me dedico a atender os filhos deles com o mesmo carinho que sei que os meus filhos são acolhidos. Acredito que os valores ensinados aqui são o maior diferencial dessa instituição”.

Ao se colocar no papel de mãe e professora, Fernanda disse ainda que sonha que seus filhos se tornem não só bons profissionais mas pessoas capazes de contribuir para uma sociedade melhor, assim como ela deseja para seus alunos. Nas palavras dela: “ Apesar deles ainda serem crianças, é nessa linha que segue todos nossos esforços, seguindo os pensamentos de D. Bosco, quanto mais cedo se desenvolve no coração e nas atitudes das crianças valores positivos, estes é que deverão orientar todas as suas ações como jovens e adultos”.

Quando estava terminando nossa conversa ela exclamou: “Sei que foi a melhor escolha que fiz para meus filhos e agradeço a Deus por ser mãe e professora”.

Texto e fotos: Pedro Whately

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.